quarta-feira, 24 de maio de 2017

O olhar que a lua me deixou ver...








O cenário era semelhante aquele que sempre imaginei,a casa,os materiais, a luz e a paisagem envolvente quase me deixavam sem folgo.
Bem vistas as coisas, esta casa ocupava uma posição intermédia,como se o homem e a natureza tivessem chegado a um impasse na sua batalha pelo mais belo enquadramento.
No alpendre as duas cadeiras tinham a mesma ilusão e desejo,viradas uma para a outra,parecia que namoravam,tal a cumplicidade.
A noite aproximou-se devagar,tão discretamente que quase não dei por ela.
Tive vontade de dizer...
Mas a palavra que me saltava do peito não me pareceu suficiente para exprimir o que se sentia ali.
Quando escureceu e a lua iluminou timidamente o seu rosto, encontrei finalmente a palavra...
Não,não era "gosto de ti"...
Era um amo,
amo tudo o que sinto contigo.
Amo-te!


Nani Carvalho

in "A vida é que sabe"







Era um pedido simples...

Era uma fria manhã vésperas de Natal, acordei com o barulho da sessão de circo que tinha começado,abri a janela e um lindo ...