sexta-feira, 28 de março de 2014

aquela noite foi nossa...

 
 



se eu estive no sonho
naquele teu sonho que desejo
As olheiras e o cansaço
Fazem o dia lembrar-me
Que aquela noite foi nossa


Pude sentir que me tocavas
E com loucura me beijavas
Num abraço me envolvias
E a cada gemido tu sorrias

Nos sonhos onde tu me tens
E eu me entrego com alma
Posso sentir naquela cama
Os medos que ainda deténs


O meu medo ao acordar
É que tu e o medo de amar
Façam esta nossa noite acabar
Sem que eu possa ficar


E se esse amor acontecer
Num beijo vais perceber
Que o sonho onde acordava
Era para te dizer que te amava

Nani Carvalho













quarta-feira, 19 de março de 2014

no coração e na Alma







Aí onde agora vives
nesse lugar de luz e paz
 não sei como fazer
para hoje te abraçar

contigo aprendi que a vida
tem que ser vivida com paixão
em cada coisa que fazemos
em tudo aquilo que vivemos

e pra quem vive a vida assim
com dignidade e coragem
aqui a minha homenagem
Carregada dum amor sem fim

se eu pudesse trocava
tudo aquilo que tenho
ia aí e abraçava-te
e depois feliz eu voltava

se eu pudesse gritava
aos berros e tão alto
que talvez ouvisses ai
um dia feliz pra ti


Nani Carvalho







domingo, 16 de março de 2014

como se o som te trouxesse de volta...

 
 
 


sinto que o tempo passou
E pouco ou nada mudou
Digo teu nome em voz alta
Como se o som te trouxesse  de volta

No caminho junto ao rio
Reconheço em mim a vagabunda
Sem lugar, vontade ou brio
Dona duma alma moribunda

A brisa que leva o respirar
E deixa o coração sem lugar
A corrente que arrasta o sorriso
Numa escuridão que nem dou por isso

Quando olho aquela sombra
Que o meu corpo faz ao rio
São os restos do que lembra
Do corpo agora vazio

Procuro entre as folhas do rio
Num lugar escondido e sombrio
encontrar ali perdido
A vida e o seu sentido

Se é aqui nesta nascente
Que até o rio começa
Quem sabe a minha alma doente
No teu sorriso tropeça


Nani Carvalho





sábado, 15 de março de 2014

Aquele olhar sedutor...

 
 
 
                         



naquele lugar belo e distante
Quando o sol se escondeu
A lua apareceu brilhante
E a saudade doeu

Um momento uma paisagem
Que traz de volta a lembrança
Que me leva a coragem
E me destrói a esperança

Que um dia esta aliança perfeita
Entre o dia que termina
e a noite que começa
Afaste de mim esta suspeita

De não voltar contigo a este lugar
De não voltar a viver
De não sentir que amar
É a felicidade de te ter

Aquele doce e meigo sorriso
Aquele olhar sedutor
Amarrou-me sem aviso
E prendeu-me a este amor

Não sei se um dia virá
Alguém que me libertará
E que devolva a beleza
A este lugar da natureza

Nani Carvalho













as cores que a Alma tem...

Alma 25
De
Anabela Veiga
 
 
 
Na alma adormece o sonho
De te pintar de  alegres cores
Onde tiro e também ponho
E te transformo em flores

Como se o branco fosse puro
Por ser essa a cor da alma
Onde nada se pinta  de escuro
E o azul é do céu e acalma

Em cada cor desta tela
Há uma emoção que me apela
Como se cada nascer do sol
Desse a cor ao girassol

No vermelho a adoração
No laranja a emoção
De te pintar com a paixão
Que me vem do coração

Em cada traço o encanto
Da vida que passou por mim
No sonho que por enquanto
A minha alma pinta assim


Nani Carvalho


 
 

 


quinta-feira, 13 de março de 2014

Simpatizo contigo...



separados por um continente
num conhecer á distância
há uma vontade irreverente
que me leva de volta á infância

onde acontecia com magia
o que num olhar meigo eu desejava
num sorriso escondido eu temia
por ter tudo aquilo que amava

esse querer o teu amor
num acreditar com  ilusão
que esse abraço de calor
tem intensidade de paixão

uma emoção com o sabor
do prazer que este amor
que nasce da simpatia
e que afinal eu não temia

Nani Carvalho

















terça-feira, 4 de março de 2014

O sabor daquela lágrima...

 
 
 


procuro em cada imagem
No fundo das recordações
invento-te em cada lugar
Sinto- te em cada olhar


Neste por do sol que te deixa
Da cor que o passado tinha
Vejo- te de longe e pressinto
Que me espreitas daquela janela


A noite cai sobre Alhambra
E eu em frente nesta varanda
Faço deste momento da alma
 Aquele prazer que me acalma

E quando a lua aparece
Imponente sobre ti
Parece que num abraço te envolve
E que eu nunca parti

A imensidão daquelas montanhas
Que te guardam e revestem
Fazem por mim o papel
De quem te ama e protege

Uma vida e outras vidas
Uma alma a minha e a tua
Que saem de mim e de ti
E se juntam naqueles jardins

A lua cheia ilumina
Os sons cantam o passado
Em que a tua alma e a minha
Juntas eram apenas uma


A brisa que invade a varanda
com o calor do teu sorriso
Abraça-me e de mão dada
leva-nos de volta ao passado


O sabor daquela lágrima
Que de emoção e dor me caía
É o da alma e da saudade
De quem te ama de verdade

Nani Carvalho






Era um pedido simples...

Era uma fria manhã vésperas de Natal, acordei com o barulho da sessão de circo que tinha começado,abri a janela e um lindo ...